Banner cabeçalho
“Práticas Integrativas e Complementares em Saúde”

No próximo dia 30, quarta-feira, das 13 às 17 horas, no INEFI – Instituto de Educação e Formação Integral, na Rasa, em Búzios, acontece o Fórum de “Naturopatia e Práticas Integrativas e Complementares em Saúde”. Participarão 120 profissionais da área de Atenção Básica que receberão informações mais aprofundadas sobre essa política autorizada pelo SUS; e como o município pode adotá-la aumentando, assim, o teto da saúde.
 
O palestrante, Dr. Carlos Lyrio, diretor do Instituto Roberto Costa em Petrópolis-RJ, vai falar sobre PNPIC - Política Nacional de Práticas Integrativas Complementares, implementada pelo SUS através das portarias ministeriais nº 971 e nº 1600 (03/05/2006/17/07/2016). Ambas estimulam os mecanismos naturais de prevenção de doenças e recuperação da saúde, com base no modelo de atenção humanizada e centrada na integralidade do indivíduo a partir de atendimentos em acupuntura, homeopatia, fitoterapia, crenoterapia, florais, cromoterapia, yoga, reflexologia, medicina tradicional chinesa e medicina antroposófica.

Segundo Carlos Lyrio, que também é coordenador da Pós-Graduação em Naturopatia da PICS - Faculdade Espírita do Paraná, as práticas integrativas e complementares, até bem pouco tempo restritas à iniciativa privada, hoje atendem à demanda crescente do SUS. A prática é multiprofissional, ou seja, abrange todos os profissionais de saúde da Atenção Básica (enfermeiros, médicos, dentistas, psicólogos, farmacêuticos, fisioterapeutas, nutricionistas, etc.); e os recursos, para a implementação dessa política, nos municípios, já estão disponíveis.
A naturopatia visa o bem-estar e a elevação da qualidade de vida, auxiliando no processo de cura e prevenção com a remoção da causa primária dos problemas. A capacitação em naturopatia permite ao profissional a realização de amplo atendimento, observando fatores como o estado mental, emocional e espiritual do paciente; seu histórico familiar, o ambiente onde vive e seu estilo de vida. A avaliação resulta em um diagnóstico que pode incluir um conjunto de tratamentos.
O Fórum contará com a participação da Eco Chef Monica Bull, do Cereall Gourmet, que falará sobre alimentação, saúde e sustentabilidade.
A naturopatia visa o bem-estar e a elevação da qualidade de vida, auxiliando no processo de cura e prevenção com a remoção da causa primária dos problemas. A capacitação em naturopatia permite ao profissional a realização de amplo atendimento, observando fatores como o estado mental, emocional e espiritual do paciente; o histórico familiar; o ambiente onde vive e o estilo de vida. A avaliação resulta em um diagnóstico, que pode incluir um conjunto de tratamentos.
O Fórum contará ainda com a participação da Eco Chef Monica Bull, do Cereall Gourmet, que falará sobre alimentação, saúde e sustentabilidade. Mais informações sobre o curso de Naturopatia no site  http://www.ircn.org.br

O secretário de Cultura de Cabo Frio, Ricardo Machado, ressalta a importância da participação popular na audiência desta segunda-feira.

"É muito importante que a população cabo-friense participe de mais essa etapa da reconstrução da nossa cidade, que é a criação do Arquivo Municipal. Será um instrumento de gestão e transparência", afirmou.

A Casa de Cultura José de Dome - Charitas está localizada na Avenida Nossa Senhora da Assunção, 855, Centro.

Por que o arquivo público é importante para uma cidade?

O arquivo público municipal é um órgão especificamente responsável pelo conjunto de documentos produzidos, recebidos e acumulados no exercício de suas atividades, ou seja, pelos poderes Executivo e Legislativo. Nesse sentido, é um órgão indispensável para o planejamento, controle, transparência, eficácia e efetividade da administração municipal, assegurando o cumprimento da Constituição.

Em virtude disso, a Secretaria de Cultura planeja apresentar e discutir o projeto do Arquivo Público de Cabo Frio à sociedade, convidando também técnicos em Arquivos Públicos para que se construa um projeto de lei que represente as necessidades e objetivos da sociedade civil. O Arquivo Público de Cabo Frio também atuará como local de segurança e de guarda de documentos e materiais que contenham valor artístico e cultural, com o objetivo de registrar e manter a memória do município.

O município que não possui um arquivo público em sua estrutura administrativa está descumprindo a Constituição Federal de 1988 e a Lei de Arquivos, de 1991. Além disso, o descumprimento constitucional afeta a Lei de Responsabilidade Fiscal – LRF (lei complementar 101/2000), a Lei da Transparência (lei complementar 131/2009) e da lei nº 12.527, de 2011 – Lei de Acesso à Informação.

No arquivo público municipal, o gestor público e os cidadãos poderão ter acesso a diversos tipos de serviço, como:

• Instrumento de gestão e transparência pública;

• Serviço de informações aos cidadãos;

• Serviços de pesquisa em Diário Oficial;

• Serviços de pesquisa histórica;

• Serviço de memória local;

• Serviços de ação cultural;

• Visita guiada;

• Emissão de certidões probatórias;

• Reprodução de documentos

Cron Job Iniciado