Ilha do Cabo FrioHá pouco mais de dois meses de se comemorar os 400 anos de fundação de Cabo Frio, a maior parte de seus moradores desconhece que a origem do nome da povoação fundada na data de 13 de novembro de 1615, vem do majestoso acidente geográfico do Atlântico Meridional que se encontra posicionado exatamente na ponta(cabo) do continente onde ocorre a mudança abrupta da costa da Região Sudeste.

Estamos nos referindo a montanhosa Ilha do Cabo Frio, um dos grandes símbolos ambientais nacionais a ser envolvido pelo raro fenômeno da Ressurgência, possuindo uma relevância histórica para o País e para o Mundo e que encontra-se inserida na antiga costa fornecedora de pau-brasil.

Esta ilha participou do processo histórico que originou o nascimento da mais antiga cidade do norte fluminense, a matriz de muitas outras (O território atribuído originalmente a Capitania Real de Cabo Frio engloba hoje 45 municípios). Portanto, através do presente artigo, daremos início a um abaixo assinado através da Avaaz, solicitando a Unesco/Comitê do Patrimônio Mundial, o tombamento do conjunto formado pela Ilha do Cabo Frio como “Patrimônio Cultural e Natural do Mundo” e da

Reserva de Mata Atlântica da Costa da Pré-Colonização do Brasil”, que compreende os litorais de Cabo Frio, Armação dos Búzios, Barra de São João, Rio das Ostras e Macaé, além dos litorais de Arraial do Cabo, Saquarema e Maricá.

O Brasil possui a “Costa do Descobrimento”, onde a esquadra de Cabral aportou em 1500, já o estado do Rio, possui ao que convencionamos denominar de “Costa da Pré-Colonização”, pois se em 1501, o capitão-mor Gonçalo Coelho descobre o potencial mercantil das margens interioranas da Laguna de Araruama e adjacências, dois anos após(1503), o mesmo explorador funda na barra da referida laguna, a feitoria de Cabo Frio, o pioneiro entreposto destinado a explorar o vasto território florestal dos tamoios.

Dava-se início ao primeiro ciclo econômico da história colonial brasileira: o ciclo do pau-brasil. No início do século XVI, a Ilha do Cabo Frio também era chamada de Ilha Bosque pelos corsários franceses, por apresentar uma luxuriosa cobertura vegetal formada por grandes espécies arbóreas da Mata Atlântica.

Quanto a origem da designação “Frio”, esta surgiu da experiência vivida pelos portugueses em 1503, com a Ressurgência fria que ocorre exatamente em frente da ilha. Séculos após, em 1828, inglês R. Walsh escreveria: “...Esse promontório escarpado era importante para nós, não apenas por ser um pedaço de terra que avistávamos após uma permanência tão prolongada no mar, mas porque representava a primeira visão do Novo Mundo e do vasto continente americano(...) Assim, a corrente de ar gelado que nos atingiu estava restrita aos arredores de Cabo Frio.

Num país onde não existe neve, ou outra superfície gelada para esfriá-lo, é difícil dizer de onde se origina essa corrente fria”.

Mais alta do que as terras continentais da região, do oceano a Ilha do Cabo Frio é visível a milhas de distância, sendo portanto a primeira porção de terra avistada pelos extenuados viajantes vindos da Europa. Assim ela se tornou um acidente geográfico de grande importância para a história da navegação do Atlântico Sul, por ser um ponto de orientação a ser buscado pelos capitães logo após cruzarem a Linha do Equador (A ilha tem 390 metros de altitude e com a atmosfera limpa, pode ser avistada por mais de 30 milhas de distância).

A singular ilha fascinou os europeus através dos tempos. Escreveu Saint-Hilaire em 1818: “Não queria passar pela cidade de Cabo Frio, sem ir ver o cabo, a primeira terra que havia avistado ao chegar ao Brasil. (...) É ela sobretudo, que avista o navegador encantado, quando vem da Europa para o Brasil”. E mesmo estando longe da ilha, a povoação de Cabo Frio, obviamente não poderia receber outro batismo: “O distrito de Cabo Frio, que toma o nome do ângulo onde a costa muda de direção...”(Airez de Cazal); “Apesar da cidade ficar duas ou três léguas do cabo, ele serviu para batizá-la”(Saint-Hilaire); “Esta vila, que não tem mais de 200 fogos(casas), dista duas ou três léguas do célebre cabo de que lhe provém o nome”(Ferdinand Denis); “A primeira terra que se avista geralmente quando se chega à costa do Rio de Janeiro, vindo da Europa, é Cabo Frio, elevado promontório que empresta o seu nome ao distrito vizinho...”(John Luccock). Em 1615, quando batizaram de Nossa Senhora de Santa Helena do Cabo Frio, a povoação que nascia, nada mais fizeram do que adotar o topônimo já consagrado pelas nações marítimas. Hoje, a ilha não pertence mais a cidade que lhe recebeu o nome, fazendo parte do litoral de Arraial do Cabo. Mas em verdade ela pertence ao Mundo. Os cabistas procuram não a chamar pelo seu nome original e sim por Ilha do Farol, já que a Ilha do Cabo Frio, possui as ruínas de um farol construído em 1836 e um outro, que encontra-se em operação desde 1861. Junto a sua costa, encontram-se os destroços da célebre fragata Thetis naufragada com um tesouro em 1830 e o sítio arqueológico do veleiro Wizard. No seu topo ainda encontra-se os vestígios do dirigível militar K-36 acidentado em 1944.

Clique no link e veja também: O Primeiro Núcleo Urbano e o Novo Centro - Cabo FrioClique no link e veja também: Surgimento do Bairro Portinho - Cabo Frio Por Elísio Gomes Filho (Historiador ambiental)

Elísio Gomes Filho, foi fundador dos museus históricos marítimos de Cabo Frio(1987) e de Búzios(2001). É autor dos livros: Histórias de Célebres Naufrágios do Cabo Frio; A Tragédia do Magdalena e Morte no Mar.